3 de Fevereiro de 2017

O VENDEDOR DE MAU HÁLITO


Em abril de 2016 eu casei, e por opção quis comprar a minha roupa do dia do casamento. Conversando com amigos tive a indicação de uma loja que confecciona camisas sobre medida e lá eu fui.

Entrando na loja fui atendido pelo vendedor “X”, uma pessoa muito atenciosa e de conhecimento na área que trabalha, passei para ele o que eu procurava e ele pegou algumas amostras para eu provar, após provar a 1ª camisa, saí do provador para colocar a gravata e ajustar a gola, o vendedor X muito atencioso se propôs em ajusta-la para mim, neste momento ele se aproximou há 15cm, exatamente a mesma distância que nós especialistas no tratamento da halitose fazemos o teste organoléptico, neste momento percebi que o seu hálito não estava saudável, pensei: “- Se eu avisar, ele ficará constrangido e não irá me atender com segurança!”, por outro lado, como especialista não poderia deixar de avisar o vendedor X.

Efetuei a compra e decidi no retorno para pegar a camisa conversa com o vendedor X, e assim eu fiz.
Esperei que ele estivesse sozinho na loja para ter essa conversa, falei que era dentista e especializado no tratamento do Mau Hálito, foi o momento que ele me olhou espantado e ao mesmo tempo se fechou para qualquer tipo de informação que eu poderia levar a ele, depois de 20 min de conversa entreguei o meu cartão e disse que o aguardaria em meu consultório para uma conversa mais prolongada. Dois meses depois o vendedor X foi em meu consultório.
Em nossa conversa ele relatou que nunca havia percebido e depois daquele dia ele começou a reparar em algumas situações aonde os clientes evitavam ficar com o rosto em sua direção e desviavam a cabeça para o sentido oposto em que estava falando, na parte financeira ele percebeu que o outro vendedor efetuava mais vendas tendo menos experiência na área, esse conjunto de fatores fez com que ele procurasse alguém de sua confiança para confirmar se ele tinha mau hálito, no caso, seu primo que dividia o apartamento, o primo confirmou e ele veio a minha procura.
Diagnosticada a causa e tratada a halitose, eu pude perceber em sua consulta de retorno o quanto ele estava seguro em atender seus clientes.

No manual do vendedor um dos itens diz: “- Um bom vendedor deve ter uma boa aparência!”, eu acrescentaria: “- Um bom vendedor deve ter uma boa aparência e um BOM HÁLITO!”.

Profissionais de vendas devem sempre consultar o seu hálito com uma pessoa de confiança, se o hálito estiver alterado procure um especialista na área para tratar essa alteração, porque além deste “mau” interferir na sua vida profissional poderá também interferir na sua vida pessoal.

Postagens relacionadas